Hora Do Banho: Pesadelo Ou Diversão Para os Pets?

02 Feb 2018 15:59
Tags

Back to list of posts

is?45N9Pszylgl05hu_mmp6ivAG0uXH_NTdBxWRYemgmCY&height=226 Hora do banho: pesadelo ou diversão para os pets? Veterinária orienta como agir pela hora de dar o banho, a regularidade com que precisa ocorrer e como fazer pra deixar o gato ou cachorro mais calmo. Cuidar de um animal de estimação não é sempre que é tarefa descomplicado. É preciso tomar cuidado com alimentação, água, ofertar simpatia, passear com ele e também higienizá-lo.E é nessa hora, do banho, que muitos tutores têm problemas, sobretudo com os gatos e cães. Esse é o caso da estudante de jornalismo Náthalia Santos, de Governador Valadares, dona da cadelinha Bidu. Apesar de ser muito agitada, a estudante tenta dar banho na cadela ao menos a cada duas semanas, intercalando banhos caseiros e, mesmo não preferindo, em petshops.Ela odeia tomar banho. É só ela escutar que vai tomar banho que ela começa a correr para lá e para cá. Ninguém consegue segurá-la. E dessa maneira que terminamos de doar banho ela começa a rolar no chão, arrastar na parede e a se sujar toda outra vez. Evitamos mandá-la pro petshop pelo motivo de ela a toda a hora volta abatida e triste", conta.Para casos como o da Nathália, a veterinária Ana Carolina Viana explica que existem alternativas para acalmar o pet pela hora do banho. Segundo ela, caso o dono for mandar o animal pra um petshop para higienizá-lo, que seja um ambiente de segurança e que tenha referências de algumas pessoas. Outra dica é ver o pet nas primeiras visitas e permanecer ao lado de ele no instante do banho, para ajudar pela adaptação do animal.Por fim, ela aponta conduzir o animalzinho em horários de menos movimentos, o que auxílio pela hora de manipulá-lo. Alguns animais não gostam de banho, isto é natural deles, até mesmo sendo o dono dando o banho. É vital achar um recinto de segurança, buscar um petshop em que ele se adapta, e em que o banhista passe sensatez.O que agrava nesses locais são materiais barulhentos, como o soprador, devido aos seus ouvidos serem muito sensíveis ao som, a presença de outros animais que acaba intimidando e irritando o animal. E no final das contas, ter muita paciência na hora da tosa, uma vez que existem gatos e cachorros que não gostam de muita manipulação", sinaliza a veterinária. No caso dos petshops, outro fator respeitável, e que auxílio a diminuir o estresse pela hora do banho, é comunicar a respeito do posicionamento do animal.Diego Fiuza, sócio de um petshop de Valadares, conta que a toda a hora no momento em que chega um novo consumidor na sua loja procura saber sobre o modo do cão ou do gato. Ele ainda ressalta que no momento em que se trata de animais, o respeito e estima são interessantes para que o bicho se sinta à vontade.St0fill:#999999; Twitter Copy 2 Created with SketchAjuste a quantidade de alimento de acordo com os resultados obtidosClaro. Contudo o óleo é bomPerda de gordura156 Wikipedia:Avaliação de terceiro155 Fantasma O fantasma da vila Exposição original: Onze/04/1977. Estreia no Brasil: 1984 (SBT)Procuramos nos aproximas dos cães para que eles possam nos cheirar e tenham o primeiro contato com a gente. Desse modo, já desejamos ter uma informação como será um futuro modo do animal. Várias vezes o cão fica retraído e agitado quando o molhamos ou no momento da tosa. Deste modo devemos ter total paciência com eles, brincar, discutir, fazer afeto e evidenciar que ele pode ter convicção em nós e que não vamos fazer nenhum mal", ressalta.Mesmo assim, não é toda gente que tem boas experiências com petshops. Mayra Ferreira adotou o cachorrinho Ikaro há 5 anos, depois que ele foi atropelado. Ela cuidou dele e tinha o intuito de colocá-lo pra adoção. Mas acabou se apegando ao cachorrinho e desde dessa maneira ele faz porção da família. Devido ao acidente, Ikaro tem constantes crises convulsivas.Ele se estressa muito fácil e com o estresse, vem os ataques epiléticos. Depois que o cachorro se exaltou com um profissional e acabou avançando nele, Mayra resolveu dar banho e tosá-lo em residência mesmo. Ela conta que busca dar banho em Ikaro ao menos uma vez por semana, no entanto para que ele não tenha uma reação inesperada, tem que sedá-lo usando calmantes.Ele tem sequelas do atropelamento, que são as crises convulsivas e só anda em círculos, por atividade de uma variação no sistema neurológico. Nesse motivo não tenho bravura de mandá-lo para petshops pra tomar banho". Entretanto mesmo os banhos caseiros necessitam de cuidados por divisão do dono, como explica Ana Carolina Viana. Pra cachorros com pelo extenso o perfeito é toda semana.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License